Incansáveis

No meio das ocupações e preocupações, confortáveis ou não com o arranjo que nós ou a vida fazemos das coisas, muitos de nós nos reencontramos no Jardim Botânico de São Paulo depois das férias dos trabalhos para a peça O Amor Salva, do Grupo Espírita de Teatro Terceiro Milênio. Tarde de sol com nuvens, verão, esperanças, alegrias e comidinhas para o pic-nic – estávamos bem, apesar das lutas que correm dentro e fora de nós.

Depois de um longo tempo sem trabalhar com pessoas fora do escritório, estar ali me desperta para as necessidades sutis do nosso humano, dentre elas o afeto e a alegria, coisas que deixamos correr por conta das nossas opiniões sobre os problemas que nos desafiam, faltam, negamos a nós mesmos e aos outros. Caminhávamos pela linda paisagem, lagos com pequenas vitórias régias, mata e trilha para a nascente do rio Ipiranga – uma ponte suspensa sobre o riachinho e a mata, cheia de encanto e energia.

Levamos ali energias antigas para reciclar e decisões e esperanças para fortalecer. Ganhamos mais doses da compreensão de que os esforços para sustentar a fé e a alegria, não são uma estratégia de fuga ou auto-engano, são um trabalho de reconhecimento de que tudo está bem, Deus cuida de tudo e a Vida movimenta a tudo e a todos às oportunidades que buscam e necessitam. A fé neste esforço, nos leva a entender que aprender é preciso e está no viver, o tempo é imprevisível e as transformações que ocorrem são a prova da existência de Deus no meio de nós – que precisamos nos perdoar antes de compreender que a perfeição está longe, mas o que somos hoje também é admirável e belo.

Minha amiga Aurea, luta, como eu por seu aprimoramento. Vive entre o espanto das coisas pelas quais se conscientiza, que muitas vezes passa pela indignação pelas causas e consequencias, e pela alegria pelas esperanças e pelo amor que sentimos, muitos dados pelos queridos irmãos e irmãs do plano espiritual, que também trabalha pelo nosso progresso. Estávamos alegres pela convicção que a fé e as últimas lições que a vida nos deram, e pela compreensão que o trabalho para Jesus no GGTM nos preparou para ter, muita gratidão estava misturada àquela alegria pura. Não me canso de admirar minha amiga Áurea por essa alegria pura, cheia de boa vontade, guerreira.

Na trilha, no meio da mata, energia intensa, a visão se apura, enxergamos nossos companheiros ali, lutadores também e agradecemos – todos ensinam, aprendem, seus seres nos animam com sua presença cheia das histórias e riquezas do seu viver. Agradecemos especialmente ao Thiago e a Aurora, nossos diretores que servem como Jesus serviria, guardadas humildemente suas imperfeições, como Paulo de Tarso à Igreja nascente naquele começo de século. Muita bondade, muita disposição, muito perdão, muita persistência, para lidar com as nossas dúvidas, fraquezas, ignorâncias. Muito afeto, que a tudo coaduna, pois como Paulo nos disse e aos colossenses, o amor une perfeitamente todas as coisas. Pesadas responsabilidades têm, desafios e dores, mas se despem para nos vestir do mais rico propósito de servir e amar, a nós mesmos, aos outros e a Deus acima de todas as coisas como Jesus ensinou, trabalhando por ele e alcançando, para a nossa maravilha, as metas. Áurea e eu pensamos e dizíamos uma para a outra, desde que nos reencontramos depois de séculos, “que riqueza de caminho estamos trilhando agora, logo nós, que passamos a vida experimentando meios para alcançar tudo o que alcançamos nele.” Nessa alegria brincante, Áurea batizou os encontros e transformações de O Caminho de Aurothi, experiências e aprendizagens sobre as quais passo a compartilhar aqui, memórias de duas aprendizes.

Saímos do jardim, passamos pelas nossas alamedas do dia a dia, sempre as provas nos alcançam; grande parte das forças se exaurem, sentimos abatimento pelo peso da distância que temos das inteligências superiores e as nossas, e das dívidas que precisamos resgatar. A palavra que nos acompanhou no último encontro foi caridade e esta é irmã do amor, caridade para com a gente mesmo, para ter paciência e confiança – virtudes que nos descansam deste trabalho de autoaprimoramento.

Jesus nos consola dizendo: “Vós sois aluz do mundo” logo nós, tão imperfeitos. Mas ele acredita em nós, em nosso potencial e por isso, como diz José Mario, no livro Quem Perdoa Liberta, Ele nos envolve em bondade e misericórdia – para nos desenvolver.

E Chico Xavier, sela este entendimento ao nos dizer que se ele pudesse deixar uma legenda para o mundo, esta seria uma deixada por Jesus “Amai-vos uns aos outros como eu vos amei” e o amor, completa ele, não espera nada em troca, se doa, rico de bondade e misericórdia, e não cria problemas.

Amem. Amemos. Amemos a nós mesmos e uns aos outros.

 

 

 

Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

2 respostas para Incansáveis

  1. Aurea disse:

    Aah…minha amiga de voz aveludada e alma bondosa eu é que não canso de agradecer a Deus por ter me levado ao GTTM e me apresentado você é tantos amigos irmãos tão lindos e cada um deles me ensinam a ser um ser humano melhor e um espírito mais evoluído…. mesmo em situações de dores mas aprendi a transforma-las em amor e flor! Amo estar no GTTM e a você Deisy querida! E assim seguiremos juntos nos caminhos de AuroThi!!! Beijos💙❤⚘💐🌼🌻🎼🌱🕊😘

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s