Jantar pra Um

Uma amiga me mandou um email perguntando o que eu faria no dia dos dos namorados. Respondi que sairia com umas amigas para um cinema, " Quer vir?", perguntei. "Não, acho que não…", respondeu, vou ficar em casa, pegar um filme e comer uma caixa de bombons. "Ok", respondi. Alguns dias depois, ela me mandou outro email. " Pensando bem, não vou comer chocolates. Tem alguma receita charmosa – fácil e barata! – para um jantarzinho a sós comigo mesma?". "Hum…Está falando sério?". Dois dias depois, outro email dela: "Cadê a receita???? Por favor, com sobremesa e dica para não abandonar a cozinha e pedir comida chinesa…"

Como a minha prima também me pediu umas receitinhas, aqui vai.

"Querida,

Para fazer um jantar especial pra um, o dia tem que ser só seu.

Não inclui exceções para mãe, pai ou irmãos. Muito menos amigas, futuros namorados ou ex (muito menos ex, extremamente contra indicado). Vale atender o telefone, mas nada de falar (ou escutar) horas e horas.

As refeições que antecedem o seu jantar, devem ser suaves: pãozinho, chá, frutas, sopa (pode ser a de envelopinho mesmo, não mata e é superpratico!).

Vamos fazer um peixe, um arroz, uma salada e uma sobremesa a base de frutas. Para fazer tudo, você não vai passar mais de uma hora na cozinha, estas coisas cozinham rápido. Se você se organizar bem durante, não vai passar tanto tempo nela depois pra limpar.

Ah! Nada de bebidas alcóolicas: pra quem não consegue ver 12 de junho como um dia como outro qualquer, e estiver totalmente solteira, o fim pode ser triste. Use água. É sério, é bom.

Vamos às compras, caso você não tenha nada em casa.

Procure um mercado com uma peixaria que venda peixes frescos.

Salmão

Além de ser rico em ômega 3 e ácidos graxos – faz muito bem ao coração – é saboroso e dá sensação de saciedade, você não ficar com vontade de comer um bifão, a menos que esteja com idéia fixa.

Já que é um jantar especial pra você, não vá pegar aqueles cortados e embalados. Vá num fresquinho. Não precisa ter vergonha: os moços do balcão de peixes são muito prestativos – acho que carentes de atenção mesmo, afinal a maioria das pessoas preferem o balcão de carnes e aves. Se estiverem cortados em filés grandes, pode pedir pra ele cortar do tamanho de uma porção pra um, eles tem muito boa vontade, mas seja simpática, quanto melhor o sorriso, melhor o corte. É super comum porções pra uma pessoa. Não, não é o fim dos tempos comprar um mero filezinho, fica fria.

Temperos

São um investimento, é um elemento de transição pra quem quer sair do túnel empanados-doces-massas-churras e entrar no mundo dos vegetais-legumes-frutas-peixes. Até que a gente aprenda a apreciar o gosto das coisas – é mato, mas dá prazer -, um tempero funciona como a a alma dos pratos.

Para o peixe, vamos usar alecrim, tomilho, ervas, limão e sal. Sal, imagino que tenha em casa (rsrsrs) se nao tiver, opte pelo light – tem menos sódio.

Tomilho pode comprar daqueles de pacotinho, ele se dá muito bem com peixe, mas também anima um ensopado de legumes e frango.

Alecrim pode ser de pacotinho, mas com um pouco de boa vontade, vai até o balcão das verduras e procure o maço. Não custa nada avisar que o maço não será todo usado, você pode colocar ele num copo com água ou num vasinho, pode durar semanas se você cuidar tão bem como cuida das suas plantas.

Ele poderá fazer companhia num vasinho para o manjericão que você vai comprar para o molho de tomate.

Açafrão – em pó mesmo, de pacotinho, e alho para o arroz. E também vai precisar de cenoura. Só uma ou um daqueles pacotinhos que já vem cenoura ralada, de 200 gramas, superprático.

Noz moscada para o molho de tomate – se quiser investir, em pó dura mais. Em noz, é mais barato.

Gengibre em pó – excelente pra respirar melhor, vai bem com salada, peixes e fangos.

Outras coisinhas

Rucula, alface, repolho roxo, pimentão amarelo, tomate cereja para a salada. Cor faz um bem danado. Molho pra salada tipo italiano – light é melhor – mostarda.

Azeite, cebola, alho poró e três tomates, uma pimentinha dedo de moça, para o molho também. Nada de molho em lata hoje e não faça essa cara. É muito fácil fazer um molho de verdade e fica uma delícia. É bom avisar também que precisaremos de uma colher de margarina ou manteiga e uma colher de catchup.

Cravo da índia, canela em pau, mel, essência de baunilha, folhas de hortelá – elas ficam lá onde você pegou o alecrim e o manjericão e creme de leite light – light sim, pois não precisamos da gordura do leite, certo? para a sobremesa. E já que estamos falando da sobremesa, compra uma caixinha de morangos, estão baratos.

Se puder, compra endro seco, também conhecido como dill, é maravilhoso com massas e queijos. Vamos usá-lo no seu prato de entrada. É minha filha, tem que ter entrada e saída.

Para a entrada vamos precisar de torradas, queijo parmesão ralado – não o de pacotinho, que cá entre nós: é queijo em pó, não dá barato nenhum. O moço do balcão de frios também rala pra você, tem mercado que faz uns potinhos e vende, alguns tipo faixa azul são caros (uns seis reais no mínimo) mas tem outros mais baratos, tão bons quanto. Os de feira são mais frescos, mais gostosos, tem nas barracas de queijos, tudo de bom.

E para a saída, chá preto – de saquinho pra não errar na medida, daquelas caixinhas cor vinho, tipo royal blend – é barato -, e geléia de amoras.

Pronta?

Antes de qualquer coisa, ponha uma roupinha bonita. Não é porque você estará sozinha que vai vestir aquela camisetona velha de sempre como todas nós fazemos. Você vai estar em sua companhia, capriche.

Mais uma coisa. Música. Diz um artigo da Revista Women’s Health de maio, acho, que o efeito de ouvir uma música preferida é parecido com o de comer um chocolate, libera endorfina e a gente sente prazer. Não é a toa que a Corinne Bailey Rae escreveu a música Put Your records On:

"Garota, coloque seu som para tocar, me diga sua canção preferida
Siga em frente, não se preocupe
Jeans cor safira desbotado, espero que consiga realizar seus sonhos
Apenas siga em frente, não se preocupe."

Adoro.

Se curtir um silêncio, vá lá. Mas se quiser ouvir algo, sem televisão né? Não há nada ruim pra quebrar o clima do que de repente você ouvir mais notícias sobre o Air Bus que caiu ou outra tragédia dessas. Ou pior, um filme ou novela que vão te prender e abandonar o plano. Fique firme.

Trilha Sonora

Você me pediu uma trilha sonora para um jantar desses. Aqui vai uma das minhas:

– I will survive – Cake, a música é aquela, mas com Cake é engraçado, você vai curtir enquanto separa o que vai usar.

– Kiling me softly – Fugees – com a Roberta Flack hoje não! com Fugees dá porque tem uma batidinha dance que dá pra pular em cima dos últimos resquícios de revolta por estar só neste dia. Faz um bem danado, a gente fica outra, melhor que drenagem linfática.

– Dancing Queen, do Abba – dançar sozinha dá uma energia, ensaio pra pista, pra aquela dança a dois , é uma delícia. Nessa você pode até dar uma treinadinha nos rodopios que eles, nossos eleitos, adoram ver e os fazem nos puxar pra rodopiar coladinhos, é bom demais.

– Super Trupper, também do Abba – essa também, pra balançar um pouco, dar uns passinhos pra lá, outros prá cá, enquanto você descasca e corta

– Faith of the heart, Rod Stewart – lembra? tem no finalzinho do filme Patch Adams. Se você gostou da música também, vai dar um gás na hora de encarar colocar as mãos no peixe pra temperar

– Numb, Linkin Park – é uma batida bem empolgante, ótimo pra escolher e lavar o arroz que é chato de fazer.

– Everlasting Love, U2 – empolgante também, dá pra dar uns pulinhos na cozinha quando as coisas começarem a cozinhar. Pulando como se tivesse ganhado um grande prêmio: o pedido de casamento apaixonado com anel, de joelhos e olhos brilhandos d’Ele, O Grande Amor – como é dia dos namorados, o tema é "Amor". Depois, pode ser "Mega-Sena" ou algo assim.

– Pride, U2 – se você já estiver com as panelas no fogo, é pra ter orgulho mesmo, especialmente se não deixou queimar nada.

– Walk On, U2 – pra lembrar que você está fazendo por você e não há nada de mal nisso. Amar, a gente começa aprendendo com a gente, depois vai para as pessoas. Observação: sem ir para as pessoas nada faz sentido. Sem ir pras pessoas depois, aí sim, é egoismo.

– Kite, U2 – pra não gostar demais de ficar sozinha e virar uma eremita, longe da sociedade. Gente é bom e vive em sociedade. Você é gente. Eu também.

– The Saints are Coming, U2 e Green Day – pra lembrar dos amigos, mas esquecer de novo se der vontade de ligar.

– Mr Postman, Carpenters – levinha, engraçadinha, pra não pesar a mão no sal, nem nos temperos. A idéia não é fazer comida indiana.

– It’s Delovely e You do something to me, com Ella Fitzgerald – pra não fazer o jantar com espírito de dona de casa, e sim com o espírito de grande mulher.

– She, daquele filme com aJulia Roberts e o gatão do Hugh Grant, porque uma grande mulher tem que ser bonita, daquela beleza que sai de dentro e termina numa produção caprichada – o dna não precisa ter colaborado como fez com a Julia, o que importa é a beleza pessoal. Além do mais, não faz mal, de vez em quando, animar a síndrome de cinderela, não custa nada.

– I’m gonna let it shine, sem comentários.

– Girls just have fun, Cindy Lauper, gracinha, pra não ser uma grande-mulher-linda e esnobe. Enfeia.

– Do seu lado, Jota Quest, super dançante, é pra pular quando tudo estiver certo. O lá-lá-lá do cara é muito contagiante, a gente acaba cantando (ou seria gritando?) junto. Na hora do lá-lá-lá é pra chamar a sorte no amor. Bem alto. Acredite.

– Rise Up – Yves Laroc e Music / Jump – Madonna – pra dançar, colocando o pensamento e as emoções lá em cima. Up.

– A little help from my friends – Joe Cocker – não, os passarinhos não vão entrar pela janela pra ajudar você.

– Mercy – Duffy – cool, na hora de degustar pra saber se ficou bom.

– The heart of the matter – India Arie – preparando a mesa, sua convidada dessa noite merece respeito e honra.

– Believe it or not – o tema daquele seriado Super Heroi AMericano, lembra? Para admirar a mesa posta, a comida fumegando e perfumando o ar. Se puder cante junto o refrão:

Look at what’s happened to me,
I can’t believe,  it’s myself.
Suddenly I’m up on top of the world,
It should’ve been somebody else.

Believe it or not, I’m walking on air.
I never thought I could feel so free.
Flying away on a wing and a prayer.
Who could it be?
Believe it or not it’s just me.

– I love Paris / Somebody loves me, Ella Ftizgerald – durante o jantar, com dignidade.

Preparando

Comece pelo peixe: tempere com sal, tomilho, alecrim, ervas finas, e esprema 1/4 de limão. Tudo com a mão, não é à toa que comida japonesa é tão boa. Deixe descansar, não precisa de azeite agora, o peixe já tem a gordura dele. É a da boa, não se preocupe. Reserve.

É bom fazer o molho dos morangos, pra deixar na geladeira apurando os sabores. Coloque numa tigela, 5 colheres do creme de leite, umas gotinhas de baunilha, 5 cravos da índia, 1 canela em pau, 1 colher de mel. Misture e guarde.

Vamos para o arroz. 1/2 xícara, lavar, escorrer. Na panela, coloque uma colher de azeite (se preferir outro, é melhor ir de girassol), doure 2 alhos picados – é o arroz se dá muito bem com alho, pode confiar. Coloque o arroz, duas pitadas de sal, três de açafrão, uma folha de louro. Coloque a água e deixe cozinhar. Quando tiver secado um pouco da água – quando o arroz aparecer, coloque um punhado de cenoura ralada, misture uma vez e deixe cozinhar até ficar pronto.

Vamos para o molho de tomate. Corte os tomates e jogue a semente fora, fique somente com a polpa e a casca. Se não gostar da casca pode tirar, mas ela faz bem pra saúde, pode deixar. Corte em pedaços pequenos e reserve.

Sobre a pimenta vermelha, recomendo manusear com garfo e faca, pois se sua pele for muito sensível, vai arder depois. Abra a pimenta no meio e tire todas as sementes e a parte branca, pois elas é que deixam as coisas ardidas demais. A parte da polpa deixa só levemente picante. Dizem os entendidos que faz bem pra alma (ativa o chi da pessoa – ??????).

Na panela, coloque uma colher de azeite, cebola picada ou em rodelas, deixe dourar. Depois coloque um talo (do tamanho de um aspargo) de alho poró picado, espere refogar um pouco. Coloque os tomates, a pimenta. Uma colher de café de sal, uma de açúcar – pra tirar a acidez -, uma colher de margarina ou manteiga – pra encorpar, uma colher de catchup, uma pitada de noz moscada, meio copo de água. Deixe fever pra virar molho.

A essa altura o arroz deve estar pronto, quando o molho estiver quase lá, coloque o salmão numa frigideira anti-aderente. Se quiser pode colocar uma colher de azeite, mas uma colher de chá só, sem regar. Se for pra regar é melhor largar tudo e comer batata frita, hein? Duas viradinhas pra lá, duas viradinhas pra cá e pronto.

Jantando

Arrume a mesa pra ficar bonito pra você e … você. Um lugar de mesa, uma flor, um prato bonito.

Num prato, coloque duas torradas, cubra com requeijão e salpique bastante dill. Depois coloque uma colher do molho de tomate – como se fosse montar um canapé. Termine com o queijo parmesão em cima e enfeite com uma folhinha de manjericão pra perfumar. Se tiver forninho, pode gratinar, fica melhor ainda.

Num outro prato, coloque as folhas de alface, rucula, repolho cru, tomate cereja. Para temperar, use aqueles molhos italianos prontos: coloque duas colheres deste num pires, com 1 colher de mostarda e duas pitadas de gengibre. Misture na sua salada. Delícia.

No prato principal, o arroz, o salmão.O molho de tomate com o queijo parmesão cobre o salmão.

No prato de sobremesa, morangos fatiados – pode ser uns cinco ou sete, depende do tamanho. Cubra com o molho, enfeite com folhinhas de hortelã.

No copo, água fresquinha.

Sirva-se bem, tranquilamente. O tempo é todo seu, o jantar também. É pra curtir sem culpa, sem mágoas e , principalmente, sem preconceitos.

Depois, prepare o chá e adoce com duas colheres de chá de amora. Mas veja bem, coloque as amoras e dê uma mexidinha só pra pegar o gostinho, ão vai bater como quem prepara uma vitamina. Deixe as amoras no fundo. Saboreie. Coma elas depois.

Linda, é uma sugestão. O mais importante é você fazer tudo o que gosta e do jeito que gosta, mas nada que te deixe mal depois.

Feliz Dia dos Namorados!

PS.: se Ele aparecer – e merecer -, é só dobrar a receita, principalmente a pimenta vermelha…

Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para Jantar pra Um

  1. Cla disse:

    Receita chic, hein chuchu?! Primeiro vou ter que acostumar com a idéia de entrada e saída, depois, vamos fazendo o trajeto… A pimenta: essa vou passar, por causa dos efeitos colaterais (e não estou falando da ardência!). Agora, a trilha sonora… Uau! Que trilha, hein? É pedir demais um cdzinho básico com elas? Uma copiazinha… Se for em mp3, copio tudo no meu aparelhinho e vou curtindo nas caminhadas… Me sentindo toda poderosa!!!Legal ler isso, justo quando estava me sentindo meio jururu (coisa dessa época do ano… outra dessa, só no Natal…)Beijão!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s